quinta-feira, 30 de novembro de 2017

UM LÍDER VERMELHO - PORQUE VOCÊ DEVERIA SER UM



            Olá, colegas. Esse modesto blog possui algumas ideias centrais, uma das principais é o conceito de se desafiar intelectualmente sempre que possível. Não é à toa que esse espaço às vezes atraia críticas ferozes,  pois desafiar conceitos arraigados não é fácil, mas é essencial. Diversos artigos nesse sentido já foram produzidos, e ficaria difícil citar todos eles.

            Há uma estratégia que recentemente ouvi num podcast do Tim Ferris: red team ou time vermelho. Primeiramente, o vermelho vem da alusão a União Soviética nos tempos de guerra fria. O que um “time vermelho” deve fazer? Basicamente, tentar de qualquer maneira provar que há falhas em algum sistema, forma de pensar, etc. Se uma organização possui um sistema de segurança na internet, um red team pode ser formado dentro da própria organização para demonstrar justamente o contrário. 

            Bom, isso para mim é basicamente o melhor, mais inteligente, e científico processo para evoluir qualquer coisa: ideias, produtos, pensamentos, relacionamentos, etc. Isso é a completa antítese do que ocorre em mídias sociais hoje em dia, ou em comentários como “Nossa, que texto bom, disse exatamente o que penso”. Essa forma de raciocinar é tão não-intuitiva que não é nenhuma surpresa dela ser aplicada apenas em organizações de ponta pelo mundo, e não pela população em geral.

            Sem saber sobre o conceito de “time vermelho”, percebi que sempre tive a tendência, aumentada nos últimos anos, de ter a forma de raciocínio condicionada à forma de agir de um red team. Quero me exonerar do cargo de Procurador? Exercícios e mais exercícios mentais a la red team, para de alguma maneira procurar falhas, inconsistências, riscos, em todas as premissas que me inclinavam a deixar o cargo. Por isso sempre tenho um sorriso interno, quando alguém me pergunta se refleti a respeito da decisão que tomei. É claro que sempre dou a resposta padrão.

         Vou comprar um imóvel em leilão? Exercícios mentais sobre o que pode dar errado. Não estou preocupado sobre o que pode dar certo, se resolvi comprar um imóvel em leilão é porque já vislumbrei tal cenário, é muito mais importante saber o que pode dar errado para que efetivamente possa decidir se vale ou não a pena.

            Ao aplicar tal forma de pensar , é natural que o processo decisório e as decisões derivadas dele se tornem muito mais robustas e eficientes. Se isso é imprescindível para o indivíduo, imagine para o setor de inteligência militar de um país importante? Numa simples pesquisa na Wikipédia em Inglês sobre Red Team, vi que o Exército Americano possui uma Universidade em Assuntos Internacionais militares e culturais. Um dos cursos que essa Instituição ensina é sobre como ser um líder de um Time Vermelho. Dá para imaginar quão bom uma pessoa não deve ser para ser líder de um time vermelho no exército dos Estados Unidos.

            Vou copiar e traduzir alguns itens do texto da Wikipedia - lembrando que não sou tradutor e posso ter comedido algum(ns) erro(s):


"The UFMCS Red Team Leader’s Course (RTLC) is a graduate-level education of 732 academic hours (18 weeks). The course scope includes the four UFMCS pillars: Introspection and Self-Reflection; Groupthink Mitigation (GTM); Fostering Cultural Empathy, and Applied Critical Thinking (ACT)."

O curso de líder do time vermelho da Universidade de Assuntos Militares e Culturais Internacionais é uma graducação de 732 horas (18 semanas). O objetivo do curso inclui os quatro pilares da UFMCS: Introspecção e Auto-Reflexão; Mitigação de Pensamento de Grupo;  Promovendo Empatia Cultural e Pensamento Crítico Aplicado.

"Introspection and self-reflection includes: Personality Dimensions, Introspective Life-Changing Event presentation and daily journaling."

Introspecção e reflexão pessoa inclui: Dimensões da Personalidade, Apresentação de eventos introspectivos de mudanças de vida e journaling diário.

"Groupthink mitigation (GTM) includes: Understanding Groupthink causes and techniques to mitigate."

Mitigação de Pensamento de Grupo inclui: Entender as causas de pensamento de grupo e as formas de mitigação

"Fostering cultural empathy includes: Understanding culture from the perspective of an anthropologist, to include cultural meaning, economics, social structure, religion, politics and globalization."

Promoção de Empatia Cultural inclui: Entendendo cultura pela perspectiva de um antropologista, para incluir significado cultura, econômico, estruturas sociais, religião, política e globalização.

"Applied Critical Thinking (ACT) includes: How we think, cognitive biases, intuition, complexity and systems thinking, and argument deconstruction."

Pensamento Crítico Aplicado inclui: Como nós pensamos, vieses cognitivos, intuição, complexidade e sistemas de pensamento, e desconstrução de argumentos.

"UFMCS curriculum is designed to improve critical thinking by teaching them how to ask better questions and challenge their assumptions they hold sacrosanct.
Red Team Leaders are expert in:
  • Analyzing complex systems and problems from different perspectives to aid in decision making, using models of theory.
  • Employing concepts, theories, insights, tools and methodologies of cultural and military anthropology to predict other’s perceptions of our strengths and vulnerabilities."
 O currículo da UFMSC é designado para melhor pensamento crítico ensinando os alunos a fazer melhores questões e desafiar as suas convicções mais profundas.
Líderes de times vermelhos são peritos em:
- Analisar sistemas complexos e problemas de diferentes perspectivas to ajudar no processo decisório, usando modelos teóricos
- Empregar conceitos, teorias, idéias, ferramentas e metodologias de antropologia cultural e militar para prever a percepção dos outros de nossas forças e vulnerabilidades.


            Bom, se um curso como esse fosse aberto para civis de outras nacionalidades, o que obviamente não é, eu embarcaria nos próximos meses para fazer um curso com essa proposta. Aliás, se eu tivesse um filho, esse seria o curso que gostaria que ele fizesse. “Tentar prever a percepção dos outros sobre nossas forças e vulnerabilidades”? Olhe ao seu redor, para si mesmo, quem faz isso? Qual mídia faz isso? Não é à toa que o exército americano é a força mais poderosa do mundo. 

            Não tenho como expressar a minha satisfação de como esse espaço em muitos artigos de maneira inconsciente nada mais estava reproduzindo a filosofia desse curso de formação de líderes. Não se trata de ter uma queda pelo Islamismo ou defender terroristas, por exemplo, mas entender as estruturas sociais, econômicas, legais e acima de tudo a diversidade de cores e formatos em que a religião muçulmana se manifesta.  Isso nada mais é do que promover a Empatia Cultural. Como já viajei por lugares que a esmagadora maioria das pessoas não faz nem noção de que existam, e encontrei comunidade muçulmanas em variados formados, etnias, graus de (in)tolerância, posso entender muito melhor o conceito de empatia cultural na análise desse caso específico. Apenas assim conseguimos ter uma noção mais acurada de como a realidade se apresenta, não repetindo clichês sobre o assunto. Tendo esse entendimento, provavelmente a luta contra o terrorismo, bem como contra a intolerância,  pode ser feita de maneira muito mais inteligente e eficaz.

            Tenho certeza absoluta que Trump não seria nem mesmo aceito como aluno para um curso como este. É engraçado, e ao mesmo tempo fascinante,  refletir  como o chefe de uma nação pode ser a antítese do que os sistemas mais sofisticados de decisões das organizações dessa mesma Nação operam. Essa é a força dos EUA, sem sombra de dúvidas.

            Depois de sair da Procuradoria, a quantidade de ideias que tenho tendo é impressionante. Imagine estruturar um curso desses no Brasil? Está aí uma ideia que vale a pena ser mais refletida. Em tempos onde uma pessoa como Olavo de Carvalho é tida como o maior filósofo de um país, Lula a salvação para o desmonte dos direitos, Bolsonaro apto a ser chefe de um país continental diverso de mais de 200 milhões de pessoas, e onde boa parte dos diálogos são apenas frutos de pensamento de grupo (ou de manada), falta de pensamento crítico ou a falta de qualquer empatia cultural, imagine o bem que não faria ao país se cursos como estes fossem ministrados pelo país? Com certeza, eu matricularia o meu filho num curso desses, e talvez fosse o melhor curso que ele faria na vida inteira.

            Um abraço a todos!

67 comentários:

  1. Bom dia!

    No sentido do texto, qual a sua percepção sobre seu ego? Perceba que em todos os textos você se coloca uma pessoa fora da curva - seja porque passou em um concurso, ter conhecido outras culturas ou atingido a independência financeira.

    Tenho a impressão que você deseja ajudar o próximo, mas antes disso deseja massagear o seu ego.

    Você reflete sobre isso?

    Espero ter sido respeitoso e provocar a reflexão.

    Um cordial abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Ótimo comentário. Sim, é possível, aliás extremamente provável, que passagens como essas sejam apenas manifestações de um egocentrismo meu. Sem qualquer dúvida a respeito. Creio que na adolescência essa tendência era bem maior, e aos poucos vai diminuindo, mas com certeza ela ainda existe.
      Sobre ser um "ponto fora da curva" em muitos domínios eu sou extremamente "abaixo da curva". É que esse ponto específico me incomoda muito: a inabilidade das pessoas terem diálogos coerentes, racionais e respeitosos. Eu creio que essa é uma das minhas forças, por isso talvez possa passar essa impressão que você teve. Agora, se for sobre investimentos, tema central da blogosfera financeira, sempre parti da premissa de que eu não sou, e muito provavelmente nunca serei alguém excepcional para gerar Alpha, por exemplo.
      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Perfeito, deve ser por isso que sou bem polêmico. kkkk. Opa! Peraí! Não posso escrever isso, sou do Red Team.

    Retificando: Poxa, nada haver! Não concordo com nada! (kkkk)

    Vai direto para os destaques da semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sr. Bufunfa! heheh mais ou menos isso aí! Um abraço!

      Excluir
  3. Soul, para a classe média é um demagogo que abriu as universidades federais aos pobre, favelados e cotistas. Ele nãoi fez muito pela classe média.

    No entanto, para os mais pobres, ele foi o primeiro presidente a vir da pobreza e dar alguma m[ínima chance de o pobre sair do ciclo de miséria e desgraças.

    Cada classe social vê o mundo à sua maneira.


    Mas em todos os governos brasileiros, os mais ricos sempre lucram muito, em todos os governo. Vide a Odebrecht que rouba desde antes do governo militar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Realmente, não quero entrar em discussões sobre personagens X ou Y, apesar de tê-los citados expressamente no texto.
      Porém, com certeza há certos personagens que possuem contribuições positivas e negativas, e a proposta de um red team é basicamente estar ciente de todos os cenários.
      Um abraço

      Excluir
  4. Trump e Bolsonaro só podem ser aceitos hospícios...

    ResponderExcluir
  5. Soul, que ótima postagem!

    Engraçado. Em muitos momentos da minha vida tive esse pensamento, porém nunca tinha ouvido falar da expressão Red Team. Você possui mais literatura para indicar sobre o tema?

    Essa filosofia se aproxima muito da metodologia de validação de hipóteses de pesquisas científicas. Basicamente não se deve provar que está certo e sim tentar de todas as maneiras provar que está errado. Basta apenas uma tentativa com êxito para seu trabalho ir por água abaixo.


    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, enriquecendo!
      Não, eu ouvi a expressão num podcast quando eu estava a caminho de Santos num ônibus, e resolvi pesquisar esses dias.
      Você está absolutamente correto que essa é a forma de validar hipóteses de pesquisa. Essa forma de ver o mundo é extremamente poderosa, basta ver o que a Ciência fez pela humanidade.
      Agora imagine aplicar isso em teses políticas, discussões sobre orçamento, teses de investimento, etc, etc.
      Um abraço!

      Excluir
  6. Como diplomado pela Escola Superior de Guerra, posso citar o CAEPE que parece ser similar a esse curso americano que citou e abaixo mando o link com as disciplinas, http://www.esg.br/images/Estrutura_curricular_cursos/CAEPE.pdf e o CLMN a seguir
    http://www.esg.br/images/Estrutura_curricular_cursos/CLMN.pdf

    Posso assegurar que mesmo sendo mestre em administração, minha visão mudou muito sobre investimentos e a vida em geral depois de ter feito um curso desses. Grande abraço e parabéns nessa nova jornada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fabio. Que bacana. É um pouco diverso da proposta do red team, pelo que vi da grade, mas com certeza pareceu ser bem interessante.
      É aberto a civis?
      O meu pai, que foi da Aeronáutica, fala sempre de forma muito positiva sobre a educação que ele recebeu para se tornar oficial.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Sim, eu sou civil, geralmente quem faz esse curso são generais, brigadeiros, almirantes, desembargadores, altos executivos, aliás até estrangeiros como americanos e europeus também entram como alunos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fabio. Bem interessante os cursos. Porém, infelizmente, eu não passo nos critérios mínimos de seleção, seria uma ótima experiência.
      Grato mais uma vez pelo link.
      Abs

      Excluir
  8. Soul, imagine como seria inútil ter o melhor carro de fórmula 1 da história na mão de um piloto incompetente e cocainmano. Ainda por ciam assessorado por engenheiros corruptos e tendendciosos. Já viu o desastre ?

    Agora lembre-se de George W. Bush comando as forças armadas mais poderosas da história e invadindo o Iraque.

    Não adianta ter o melhor serrote do Universo se o carpinteiro é um imbecil completo. Imagine que Trump é o carpinteiro.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Imagine se as organizações americanas não tivesse formas objetivas e racionais de funcionamento? Aí sim que um líder inapto poderia fazer um mal danado. Basta pensar em países mais frágeis, basta um líder fazendo escolhas insensatas para o país como um todo afundar.
      Um abraço

      Excluir
  9. Olá Soul,

    Muito interessante o tema. Sem saber do assunto, acredito que o utilizo de uma forma bem simples ao montar operações com opções, melhor não montar. Fico pensando em riscos, prejuízos e assim a operação passa e eu não monto rs

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Inglês! Não podemos deixar que o risco nos paralise. Sempre haverá incertezas, agora quando estamos melhor preparado para eventuais problemas é mais fácil nos colocarmos em situações de risco.
      Um abraço!

      Excluir
  10. Olá Soul,

    Muito interessante essa questão do Red Team. É algo como contratar um hacker para tentar invadir o seu sistema, ou alguém para criticar e encontrar falhas nas instituições.

    Não entendi onde o Trump, o Olavo de Carvalho e o Bolsonaro entram nessa história.

    O Trump é um empresário de sucesso, com seus altos e baixos, quebrou, recuperou e enfrentou as forças mais poderosas dos EUA para ser eleito presidente. Não só isso, em 1 ano ele tem enfrentado com sucesso toda a imprensa mentirosa do planeta, o deep state americano e todo o tipo de conspiração que se possa imaginar.

    Existem diversos vídeos analisando o comportamento de Trump nos debates eleitorais e as estratégias usadas por ele para colocar os adversários no bolso. É uma capacidade que poucos dominam.

    Esse é um vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=9LR6EA91zLo

    Fora que ele foi humilhado por todo o tipo de gente e calou a boca de um monte de gente de forma brilhante, incluindo Obama.

    https://www.youtube.com/watch?v=ahkMA6JPOHU

    Acho que você não tem idéia do que os Clinton representam. Essa mulher é víbora comunista mentirosa do @#$%.

    https://www.youtube.com/watch?v=OdMWpvvnk2Q

    O Olavo de Carvalho por muito tempo foi uma voz única tentando alertar para o desastre que estava acontecendo no Brasil.

    A análise que ele tem feito sobre as questões políticas e sociais envolvendo o Brasil, a América do Sul, etc foram certeiras como ninguém foi capaz.

    Tem alguma opinião dele ou análise dele que você não concorda? Coloca qual é e diga como deveria ser.

    O Bolsonaro é o único dos políticos que se preocupa com a vida, com os 60 mil assassinatos por ano no Brasil. O Brasil sofre um genocídio. A questão da violência está fora do controle. São 16 anos de governos progressistas e ninguém dá a mínima pra isso. Não é curioso que o plebiscito de 2005 deu a vitória contra o desarmamento e o estatuto está aí impedindo as pessoas de se defenderem dentro da lei e sendo mortas dia após dia?

    É isso (por enquanto).

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande I.Internacional,
      "Não entendi onde o Trump, o Olavo de Carvalho e o Bolsonaro entram nessa história." Você deliberadamente deixou de fora o Lula, isso pode ser interpretado como viés de confirmação.
      Como disse ali acima, realmente não gostaria de transformar o tópico em uma discussão sobre personagens. Os citei expressamente, pois acho que eles são uma prova em sentido contrário da forma de reflexão de um red team. Porém, tendo em vista o apreço que tenho por você, e o seu comentário extenso teço alguns comentários.
      a) Olavo de Carvalho - Pode ser quando ele afirma que as teorias de Einstein são uma bobagem ou quando ele afirma sobre pessoas que tiveram morte cerebral confirmada e retornaram para vida? Fiz questão de acentuar o papel de filósofo atribuído a ele, não de comentador político.
      b) Por consideração, olhei todos os vídeos. Não todos, o primeiro eu pulei sobre as técnicas do Trump. O segundo é um vídeo onde mostra personalidades afirmando que o Trump não seria presidente. Eu não entendi a relevância do vídeo. Acho que poderiam também pegar vídeos de pessoas dizendo que a Hillary não seria presidente, se ela ganhasse, ela “teria calado a boca?” dessas outras pessoas. Enfim, não entendi a relevância.
      O terceiro é uma análise de um sujeito qualquer que fez um vídeo no You Tube. As mesmíssimas razões que fariam você não votar na Hillary, deveriam fazer não votar no Trump. Ele cita a) ela é uma mentirosa compulsiva (precisa dizer alguma coisa nessa?- http://www.factcheck.org/person/donald-trump/). Em matéria de mentiras, o Trump supera até mesmo mentirosos contumazes como políticos profissionais. b) o segundo motivo eu não peguei, pois passei o vídeo. 3) O terceiro é que ela supostamente defendeu um estuprador de crianças e riu do fato. Pode ter acontecido, como vou saber? Porém Trump não falou que pegaria mulheres pela “buceta”? Se você tivesse uma filha de 3 anos de idade, gostaria de ter que explicar o que é isso que o presidente disse? Eu creio que não 4) A fundação Clinton recebeu dinheiro de países estrangeiros, alguns que não promovem direitos humanos como a Arábia Saudita. A primeira visita de Trump num país muçulmano foi exatamente onde? Em relação a influência externa, sobre a administração Trump pesam pesadas alegações de influência Russa no processo eleitoral. O que se for minimamente verdadeiro é extremamente grave e 5) Ela é uma política do establishment. Isso realmente Trump não era.
      Veja amigo, além da qualidade do vídeo ser muito baixa, os motivos alegados fariam você não votar nem um nem outro. Isso não é nem viés de confirmação, é simplesmente ver defeito de um lado, e não ver os mesmos defeitos no outro. Ou ver qualidade de um lado, e não ver a mesma qualidade no outro.

      Excluir
    2. c) “O Bolsonaro é o único dos políticos que se preocupa com a vida, com os 60 mil assassinatos por ano no Brasil” Quer dizer que o Bolsonaro é o único político que se preocupa com a vida? Certo, I.I. Por que exatamente? Porque ele disse que vai ser duro contra o crime? Realmente impressionante a estratégia dele, única e original.
      Veja, Investidor Internacional, eu conheço os dados. O Brasil viveu uma explosão de aumento do número de homicídios no final do desastrado governo militar no início da década de 80. Foi de 80 a 2003 que houve uma explosão no número de mortes por 100 mil habitantes. Tal fato pode ser visto em qualquer gráfico sobre o tema, a título de exemplo cito apenas essa reportagem do ano de 2014: https://exame.abril.com.br/brasil/o-mapa-dos-assassinatos-no-brasil-nos-ultimos-30-anos/#
      O corte temporal que você fez (de governos progressistas, seja qual for a sua interpretação do adjetivo progressista quando aplicados a governo) a partir dos anos 2002-3 na verdade foi quando as taxas de homicídio no Brasil começaram a declinar e se estabilizar. Em 2002, houve 28,9 assassinatos por cada 100 mil habitantes. Em 2013, a taxa foi de 29,00 assassinatos por cada 100 mil habitantes. Ou seja, em 10 anos de “governos progressistas” a taxa de homicídios aumentou 0.3% no período. Até 2009-2010, a taxa na verdade tinha recuado um pouco do pico que foi em 2002, e começou a aumentar novamente em 2011. “Segundo o Mapa, realizado pelo Instituto Sangari, até 2003 as taxas de homicídio cresciam, em média, 4,4% ao ano. Já entre 2003 e 2010 houve uma diminuição dos casos, de 1,4% ao ano.”, reportagem do ano de 2011 - http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/taxa-de-homicidios-cresceu-124-nos-ultimos-30-anos-no-brasil/n1597408258382.html
      A taxa de homicídio em 2016 ficou em 29,9 para cada 100 mil habitantes (último dado disponível). Assim, nos últimos 15-16 anos, a taxa de homicídio do Brasil cresceu no período algo em torno de 3,5%.
      Portanto, todos esses dados simplesmente servem para mostrar que a sua narrativa não é acurada. A violência começou a explodir ainda no governo militar, a partir de 2002-2003 estabilizou, decresceu um pouco e voltou a crescer ligeiramente.
      O Brasil é um país extremamente violento e há inúmeras razões para isso. O problema é complexo e com certeza não serão populistas com frases fáceis que irão solucionar o problema, ao contrário talvez o mesmo seja agravado.
      Valeu pelo comentário, I. I.
      Um abraço!

      Excluir
    3. Soul gosta de provocar. Se ele quisesse que o texto dele fosse melhor absorvido e discutido, poderia deixar as preferências ideológicas dele de lado. Mas não.

      Excluir
    4. Eu gosto de ser provocador mesmo, tanto que o programa que mais gostava na televisão era do Saudoso Abujamra que se chamava "Provocações". Porém, o seu comentário foi interessante, pois realmente textos sem provocações são melhor digeridos, comentados e discutidos. Não é um marketing muito inteligente sair provocando, e eu sei exatamente disso. Daqui a pouco alguém não compra um livro sobre leilões, porque de alguma maneira se sentiu provocado sobre uma reflexão sobre direitos humanos. Porém, é mais forte do que eu, colega:)
      Sobre preferências ideológicas, a minha preferência é sobre a verdade, o que dá certo, racional e faz sentido. Se Trump, Bolsonaro, Olavo de Carvalho, Lula, Obama, qualquer um deles falar algo que faça sentido, ou que eu inicialmente eu não concorde, mas que se revele racional e eficiente, sem problemas algum em concordar com quem quer que seja.
      Um abs

      Excluir
    5. II,
      Concordo com você em tudo que disse, mas gostaria de comentar algumas questões:
      1) Eu torci pelo Trump. Mas como presidente dos EUA ele tem tido umas posturas inadequadas. Essa guerras de palavras com o líder Norte Coreano. Parecem duas crianças.
      Fora a forma que ele usa o Twitter, que como candidato era válido, mas como presidente não.
      Ele fez uma piada essa semana chamando de pocahontas uma senadora democrata que mentiu sobre sua etnia pra progredir na carreira acadêmica. Por mais que ela mereça a chacota não é ele, o presidente do país, que deve fazer piada.
      Eu gosto dos textos de Olavo de Carvalho, concordo com muita coisa, discordo de outras. Há muito de teoria da conspiração no que ele escreve. Mas o que mais me chateia é não poder questiona lo. Pra os seguidores dele Olavo é um Deus e o que diz tá dito.
      Com relação a Bolsonaro, ele é uma das minhas opções de voto, mas assim como Lula, que é semi analfabeto e fala errado, e Dilma, que não consegue concatenar as ideias, não acho que Bolsonaro tenha o perfil de um presidente. Ele é destemperado, não tem controle emocional. Dentre os que estão aí, pra mim, ele é a melhor opção.

      Excluir
    6. Olá Soul,

      Não irei me estender.

      Os vídeos sobre as técnicas do Trump são fundamentais para entender a habilidade singular deste homem para vencer um processo eleitoral contra tudo e contra todos (daí o vídeo dos críticos).

      Não adianta você inverter a argumentação. A pessoa massacrada por 90% da imprensa, artistas e formadores de opinião era ele.

      Para quem tanto fala em viés de confirmação, você mesmo o adota criando uma barreira intransponível para qualquer argumentação em contrário.

      Eu não confio no governo. Não confio em político. Uma das formas mais eficientes de controle da violência é o fim do estatuto do desarmamento. Votamos em 2005 para podermos comprar armas e o governo deu de ombros. Como você analisa isso? O Bolsonaro é o único que é contra o desarmamento e contra as bobagens das leis que protegem bandidos.

      https://youtu.be/ntTLmZWj86E

      Se vocês, aqui incluo os outros leitores, um grande estadista no Brasil, é só resgatando a monarquia. No presidencialismo, continuaremos escolhendo essa gente que está aí. Deles, o Bolsonaro é o menos pior.

      Abçs!

      Excluir
    7. Olá, I.I.
      "Não adianta você inverter a argumentação. A pessoa massacrada por 90% da imprensa, artistas e formadores de opinião era ele."
      Isso apenas mostra que o desejo de 90% dos formadores de opinião não foi atendido (isso se esse percentual estiver correto).

      "Para quem tanto fala em viés de confirmação, você mesmo o adota criando uma barreira intransponível para qualquer argumentação em contrário."
      Não entendi o seu ponto. Onde estaria o viés de confirmação? Você citou um vídeo com um monte de pessoas dizendo que Trump não ganharia. Tirando o fato que isso é normal numa eleição presidencial polarizada como nos EUA, apenas apontei o fato que muitas outras personalidades devem ter dito que Hillary não ganharia. E o efeito de um vídeo seria o mesmo daquele que você mostrou. Taleb chama isso das histórias não-ocorridas, temos dificuldade de visualizá-las, pois elas não ocorreram, mas não deixa de ser um erro de julgamento.

      "Eu não confio no governo. Não confio em político"
      E nutre simpatia por um político profissional com três décadas de Congresso, e que colocou aos poucos toda a sua família na política?

      "Uma das formas mais eficientes de controle da violência é o fim do estatuto do desarmamento. "
      Pode ser verdade, pode ser que não seja verdade. Para saber se sua informação é verdadeira, você sabe que seriam necessários uma tonelada de dados. Boa parte dos assassinatos é concentrado em jovens, negros e pobres. Quase sempre associado com tráfico de drogas. Nesse meio, o que não falta é arma, logo fica difícil ver como o armamento da população contribuiria para diminuir o número de mortes na parte da população mais atingida. Agora, pode ser que seja efetivo, e eu não sou a priori contra nenhuma ideia que tente diminuir os graus de violência extrema do Brasil.

      "e contra as bobagens das leis que protegem bandidos."
      E quais seriam essas bobagens, I.Internacional? Precisamos dar nome aos bois para ter uma discussão minimamente séria e produtiva, para sairmos da mesmice de outros espaços. Quais são objetivamente as bobagens e o que um presidente (ou um rei) poderia fazer para retirar essas bobagens? É o devido processo legal? É retirar o direito de defesa? É aplicar a pena de morte? É não permitir progressão de regime ou liberdade condicional? É aplicar sanções que não estão na Lei? Apenas sabendo o que você entende por bobagens, esse tópico pode ser abordado.

      "Se vocês, aqui incluo os outros leitores, um grande estadista no Brasil, é só resgatando a monarquia. No presidencialismo, continuaremos escolhendo essa gente que está aí."
      Na Monarquia também. Um bom exemplo é a Tailândia, quase ninguém olha para esse país. Mas lá o Rei era amado, via de uma dinastia de centenas de anos (sendo que o primeiro Rama I derrotou a invasão dos burmeses), mas desde 2006 o país entrou num impasse político com o afastamento de um líder extremamente popular por acusações de corrupção.

      "Deles, o Bolsonaro é o menos pior."
      Como dizia o Abujamra antes de começar o "Provocações" "Ai de Mim, Ai de Mim!".

      Abs!

      Excluir
    8. Permitir que as pessoas decidam se querem ou não possuir uma arma não tem nada a ver com redução da violência e sim com respeitar a liberdade.

      Excluir
    9. Pode ser, colega. Porém, no contexto dos comentários, foi dito expressamente que diminuiria a violência. Se pode argumentar, como você fez, que a defesa da posse e porte de armas deve ser feito apenas como "respeito a liberdade", independente da diminuição ou não do número de assassinatos por armas de fogo. Porém, repisa-se que não foi esse o foco dado pelo colega I.I. acima. Espero que perceba a diferença.
      Abs

      Excluir
    10. Acredito que o caminho é pararmos de discutir pessoas e começar a conversar sobre ideias. Até porque mais importante do que as características pessoais de Lula, Bolsonaro, Hillary ou Trump, são as ideias que eles passaram a representar (conscientemente ou não).

      Excluir
    11. Oi Soul,

      Isso não vai ter fim. :)

      Bobagem que protege bandido é liberar a Suzane Richthoffen no dia das mães.

      Bobagem é um marginal invadir uma casa/loja, o dono matá-lo e ter que responder por homicídio.

      Escolher entre o menos pior não é nutrir simpatia. É concordar com alguns pontos do que a pessoa prega.

      E não seríamos governos por tailandês. A família real brasileira está aí, emite opiniões, escreve livros. Procure se informar.

      Abçs.

      Excluir
    12. Opa, I.I, realmente começa a ficar bem extenso.
      -Bom, eu não sei por qual motivo ela foi liberada, mas se a Lei permita a sua liberação, deve-se modificar a Lei (mas realmente o dia escolhido não foi dos mais inteligentes);
      - Isso é Legítima Defesa de si ou de outrem. Porém, é necessário analisar o caso concreto. O que tem que ficar claro é que se alguém invadir a casa ou um estabelecimento e for morta, é natural que a policia investigue, afinal houve um assassinato. Se isso pode ser considerado um homicídio para tipificação penal, ou se houve uma real legítima defesa pode ser esclarecido numa simples investigação. Precisamos eficiência investigativa policial, apenas isso.

      A ex-família real, já que não temos mais Monarquia. Ótimo, I.I., eu sei bem disso. Porém, acho que você não entendeu. Ao contrário da ex-família real, a família real tailandesa possui séculos de governo. O Rama I é tido como um herói nacional. O Rei que faleceu ano passado, e isso eu vi nas diversas vezes que tive lá, era amado e respeitado. Eles tinham a monarquia muitas vezes mais forte e consolidada do que nós teríamos aqui no Brasil se voltássemos com a Monarquia. Porém, isso não impediu uma crise política que se arrasta desde 2006.
      A Tailândia apresenta, se não me engano, possui o mesmo pib per capta do Brasil, é um país extremamente populoso, bem diverso, e é muito mais comparável ao Brasil do que pegar um Estado Minúsculo com Monarquia e achar que seria facilmente replicável por aqui.

      Abs!

      Excluir
    13. Só liberar as armas que acaba a violência. Não digo que arma não seja a solução, mas dizer que apenas liberar arma e está resolvido o problema de segurança é uma mentira sem tamanho. No Japão os cidadãos são desarmados e possuem uma taxa de homicídio baixíssima.

      Excluir
    14. Colega, realmente não há correlação forte entre armas por 100 habitantes e declínio ou aumento do número de homicídios. Há uma leve correlação com a diminuição do número de assassinatos, mas ela é quase irrelevante do ponto estatístico. Você bem citou o Japão, que possui uma das menores taxas de homicídio.
      Os EUA são o país desenvolvido mais armada (alguns pesquisadores falam que a Suíça talvez seja mais, pois a estatística de armas desse país pode estar submdimensionada)e é o país desenvolvido com o maior número de assassinatos por 100 mil, se não me engano a taxa é 50 vezes maior do que no Japão. Há países com grande número de armas por 100 habitantes com taxas baixas de homicídio, o segundo com país com mais armas por 100 habitantes é o Yemen, que está chegando a condição de um Estado Falido tão falido como a Somália.
      Com certeza a discussão é muito mais complexa do que isso, e com uma probabilidade muito grande a nossa violência crônica não seria nem mesmo atenuada com a liberação do porte e posse de armas de forma indiscriminada.
      Pode se travar a discussão sobre a ótica da liberdade, como um colega acima, e é uma boa discussão, mas o foco de argumentação é outro.
      Um abraço

      Excluir
    15. Vai enumerando os fatos, Soul.
      De que valem os fatos contra certos argumentos...

      Excluir
    16. Colega,
      Vc sabe que o Olavo não é o único que critica as teorias de Einstein, né? Isso é treta antiga e que está acima da minha capacidade cognitiva.

      http://inacreditavel.com.br/wp/entrevista-cesar-lattes-fala-sobre-einstein/

      Excluir
    17. Colega,
      a) A Ciência só evolui quando critica sistematicamente as teorias consolidadas, logo a sua afirmação que "há críticas as teorias de Einstein" é igual a dizer "os humanos continuam usando o método científico", correto.
      b) Qualquer teoria científica é uma aproximação da realidade, nenhuma teoria científica será a verdade. O modelo de gravitação de Newton é uma aproximação da realidade, assim como o modelo de Gravitação de Einstein é uma aproximação melhorada da realidade, e assim a Ciência Evolui.
      c) Não foi nada disso que constou no vídeo que eu vi, foi apenas ignorância cumulada com arrogância, não um desentendimento científico.
      d) Esse é o trecho da entrevista que você enviou:

      "Então o senhor considera a Teoria da Relatividade errada? Aquela famosa equação E=mc² está errada?

      César Lattes: A equação está certa. É do Henri Poincaré. Já a teoria da relatividade do Einstein está errada. E há vários indícios que comprovam esse ponto de vista

      Mas, professor, periodicamente lemos que mais uma teoria de Einstein foi comprovada…

      César Lattes: É coisa da galera dele, do lobby dele, que alimenta essa lenda. Ele não era tudo isso. Tem muita gente ganhando a vida ensinando as teorias do Einstein."

      Certo. Einstein revolucionou em inúmeros campos a percepção humana. É reconhecidamente um dos maiores cientistas que já andou por esse planeta.

      Um abraço

      Excluir
  11. "Em tempos onde uma pessoa como Olavo de Carvalho é tida como o maior filósofo de um país, Lula a salvação para o desmonte dos direitos, Bolsonaro apto a ser chefe de um país continental diverso de mais de 200 milhões de pessoas"

    Adorei o ad hominem! Aprendi com Olavo essa palavra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, a expressão é interessante mesmo. Porém, se você "aprendeu" com o Olavo deveria ter aprendido melhor, pois o seu uso não foi correto.
      Se eu citei pessoas (Trump, Olavo, Lula, etc) que entendo ser a antítese do tema central do tópico do artigo (A necessidade de empatia cultural pelos diferentes, mitigação de pensamento de grupo, etc), isso não é uma falácia ad hominem, isso é apenas uma opinião, um juízo de valor, que pode ser correto ou não.
      Melhor voltar às aulas do seu professor, e aprender corretamente o uso da expressão.
      Abs

      Excluir
    2. O dotô desqualifica terceiros sem apresentar argumentos? Isso é opinião, não ad hominem? Quem sabe não faço aulas com o dotô pra aprender a diferença.

      Excluir
    3. Colega,
      a) O texto é centrado num curso que procura formar líderes que saibam: pensar criticamente, fugir de pensamento em grupo e promover empatia cultural (que significa basicamente se colocar no lugar do outro, mesmo um possível concorrente ou inimigo). Se eu não creio que Olavo, por exemplo, tenha empatia cultural ou promova, isso não é uma falácia Ad Hominem, colega, isso é apenas uma opinião.
      b) Seria uma falácia Ad Hominem se eu dissesse, porque Olavo é comunista, ele não possui empatia cultural. Ou porque a filha de Olavo disse que ele a viu ser abusada sexualmente aos 9 anos e nada fez, ele não possui pensamento crítico. Esses dois exemplos seriam falácias ad hominem.
      Colega, eu dificilmente seria o seu professor.

      Um abs

      Excluir
    4. Quanto ao Olavo convido que quem tenha dúvida veja os inúmeros temas que ele aborda. Dou muito valor a diversas ideias que só comecei a pensar a partir dele.
      Aprendam a pegar o que é útil de cada pessoa: eu acho que o fogo que o soul joga em algumas personalidades desproporcional em relação a outra bem mais polêmicas, mas respeito também ele por abrir um espaço onde essas ideias estão sendo discutidas numa ótica fora de minha zona de conforto.

      Excluir
  12. Soulsurfer...

    o que é a vida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma peça teatral sem conhecer o script e sem possibilidade de ensaio prévio.

      Excluir
  13. Acho que não...acho que na vida, nós colhemos o que plantamos...o script vc que faz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um bom filósofo grego iria dizer em relação à sua frase que um homem só pode saber como foi a sua vida no instante que ela termina. A vida é uma mistura de virtude (fazer o próprio script) e fortuna (sorte, acaso). Está no local errado, na hora errado, e todo o script construído meticulosamente por você vai para o beleléu.
      Abs

      Excluir
    2. Não existe o acaso, nada é por acaso. Se vc acredita em acaso é pq ainda não compreendeu a vida. Vc estava no local certo, na hora certa para ir para o beleléu. O acaso (sorte, azar) é dito quando não sabemos as causas de uma consequência. Estude um pouco mais, principalmente o espiritismo Kardecista e irá encontrar muitas respostas, a ciência e a filosofia ainda não tem respostas para nossas aflições e a religião prega muitos dogmas, ou seja, verdades inquestionáveis. Abs

      Excluir
    3. "Se vc acredita em acaso é pq ainda não compreendeu a vida".

      O solipsismo delirante está saindo do facebook e migrando para os blogs.
      Que falta faz um Umberto Eco.

      Excluir
    4. Que falta faz um pessoa que não tem pensamento próprio e se apoia em nomes como Umberto Eco...esse é seu público Soul?!?

      Excluir
  14. Soul, um presidente imbecil que gasta 3 trilhões de dólares para invadir o Iraque é um desastre.Sem contar as milhares de vidas americanas e os milhões de mortos iraquianos. Não adianta ter as melhores forças armadas da História,os melhores generais e analistas do Red Team, se o Comandante em Chefe é uma besta quadrada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, se o chefe da Nação realmente quiser fazer coisas ruins, ele vai conseguir, e não há Red Team que dê jeito, nisso concordamos. Porém, é melhor ter do que não ter e não deixa de ser um filtro contra grandes bobagens.
      Abs

      Excluir
  15. Rapaz, se o astrólogo é um grande filósofo e se o Bolsonaro é um grande candidato a presidente isso significa que a Humanidade falhou totalmente. Melhor deixarmos as inteligências artificiais votarem. A cada dia elas estão mais e mais inteligentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina um futuro onde nossos celulares (ou qualquer dispositivo que venha a existir) votando para eleger quais celulares deverão nos governar?
      Vixe, eu não gostaria de estar vivo nesse momento, se ele existir um dia.
      Um abraço

      Excluir
  16. Olá, Soul, boa noite.

    Confesso que fiquei tentado a entrar no debate acerca dos motivos que o levaram a incluir Olavo de Carvalho no rol, mas entendo que isso seria divagar sobre uma árvore e esquecer o resto da floresta.

    De toda forma, seria interessante se futuramente vc discorresse melhor sobre sua opinião quanto ao matador de ursos. kkk

    Quanto ao conceito de red team, a mim pareceu um controle de riscos elevado à máxima potência (o que seria o certo, afinal).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Concursado.
      Boa analogia, colega. Ao se preocupar com X ou Y, as pessoas começam realmente a divagar sobre uma árvore e se esquecem da floresta. Foi exatamente isso que ocorreu em alguns comentários desse artigo.
      Isso de certa maneira não deixa de ser um teste também, a nossa capacidade de não perder o contexto geral de uma discussão ou de um tema, e a capacidade, como o próprio curso citado diz, de questionar "nossas crenças mais arraigadas".
      Sobre o personagem em questão, eu conheço pouco. Li uma vez um texto sobre Globalismo que achei péssimo, uma concatenação de ideias que achei sem sentido, misturado com teorias espúrias de conspiração, até escrevi um artigo a respeito.
      Depois, vi um vídeo por 15 minutos onde ele usou a palavra "imbecil" por umas 15 vezes. Não creio que esse seja um comportamento de um pensador, muito menos o melhor deles. Uma pessoa com 60 e poucos anos de idade, que não acalmou a mente, parece-me ainda estar no início da jornada da autoreflexão (não se esqueça que é um dos pilares do curso de formação de líderes).
      Resolvi ver outro vídeo, nele ele falava sobre Einstein, que era uma bobagem. Depois falava que pessoas com morte cerebral já tinham voltado para contar como era, aí realmente foi um pouco demais. A ciência veio da filosofia. Um filósofo deveria ser um amigo do conhecimento (filosofia nada mais quer dizer do que isso). Portanto, fiz questão de destacar o papel dele como filósofo, e não como comentador político. O fiz em apenas uma linha, pois não queria ficar escrevendo muito e foi apenas uma linha de argumentação depois de citar outros personagens.
      Por fim, ele possui "seguidores". Isso é termo usado para seitas de fanáticos. Eu não sigo ninguém, e tenho certeza que pessoas mais sensatas não são seguidores de ninguém. Quando se é seguidor de algo, o pensamento de grupo, ou de manada, entranha de tal maneira na reflexão que as pessoas não se dão conta disso. Não se esqueça que um dos pilares no curso de formação de líderes é evitar pensamento de grupo e forma de mitigá-los.

      Sobre o conceito, eu creio que ele é ainda mais amplo do que você disse, é uma forma de controle de risco, mas também uma forma de observar a realidade de forma muito mais intensa.

      Um abraço

      Excluir
  17. Excelente post!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, o pessoal está ficando cada vez mais criativo. Muito bom mesmo. Se todas as ironias fossem feitas assim, nossa, a blogosfera seria um espaço muito melhor e inteligente.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Kkkkkkkkkkkkkkkk mandou bem...criativo

      Excluir
  18. A minha maior implicância com o assunto é a cor RED. E ainda mais ele ter citado a URSS.

    O líder poderia ter outra cor nisso tudo, quem sabe branco ou azul claro, ou verde que denotaria ecologia no sistema de liderança, mas vermelho é inviável, eu não seguiria nunca um líder vermelho. ;)

    Brincadeiras a parte amigo, inveja branca da sua liberdade de ler e pesquisar bastante coisa. Você pode ler em um ano o que eu leio em 12 anos e quem sabe umas 4x mais o que voce lia antes de deixar o seu cargo, e como informação é poder, conhecimento é dinheiro, tempo é vida, e tudo o mais, você está no epicentro da espiral ascendente do sucesso 360 graus.

    Queria eu ter tempo livre o bastante pra ler muito mais e poder fazer vários cursos, mesmo que online. Um dia eu chego lá. Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Frugal.
      Primeiramente, amigo, você é um exemplo e sempre serei grato pela ajuda que você deu ao meu Pai quando precisei.
      No mais, obrigado pela mensagem, sabe que estou torcendo bastante pelo seu sucesso como empreendedor.
      Quanto ao vermelho, Frugal, o conceito foi criado na guerra fria, e o red team era para representar o Inimigo União Soviética. Como os soviétivos pensavam? Como eles poderiam tirar vantagens das fraquezas americanas? Etc, etc.
      Em determinados jogos, há blue teams também, assim você não ficaria de fora:)
      Porém, vá por mim, a melhor coisa para fortalecer a capacidade argumentativa é ficar no lado contrário da corrente de pensamento majoritária, além de ser muito mais divertido.
      Um abraço!

      Excluir
  19. O conceito é interessante, o problema é quando se fica obcecado por isso.
    Procurando olhar só as falhas e não tendo coragem de tomar decisões.
    Ex: Um segundo turno entre Lula x Bolsonaro - Em quem você votaria?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Isso chama-se em inglês "Analysis paralysis", e rapaz como há pessoas que sofrem desse problema. Em uma determinada situação, a pessoa tem que se decidir, tomar riscos, etc. Uma análise cada vez melhor, não quer dizer que a pessoa, ou instituição, não terá que tomar riscos.
      Sobre a sua pergunta, é a enésima vez que perguntam nesse blog.
      Um grande filósofo romano, se não me engano, disse que o "Homem que sofre antecipadamente, sofre desnecessariamente". Os dois seriam péssimas escolhas para o país, o Bolsonaro talvez seja bem pior. Como não tenho vontade de votar em nenhum dos dois, não sofrerei antecipadamente, ou simplesmente posso adotar a posição política do magistral Geroge Carlin sobre o significado da votação.
      Abs!

      Excluir
    2. É melhor jair se acostumando

      Excluir
  20. Realmente, socialismo puro esse post. Direito seu.
    Desculpe-me pela curiosidade: algum autor não esquerdista que você já leu e concordou ou gostou?
    Abracos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Sim, socialismo usado pelo exército dos EUA, e também conhecido como método científico.
      Defina "autor não esquerdista", por gentileza. Aliás, defina-me direita e esquerda se possível.
      Acho que um curso como esse cairia como uma luva para você, colega.
      Abs

      Excluir
  21. Soul, o nível do bom senso chegou ao rodapé...Se o Exército Americano é socialista, nem imagino mais quanta besteira a Veja e Globo conseguem colocar na mente desse povo.

    A juventude está cada dia mais estúpida graça ao facebook, aos videogames, e por conta da grande mídia. É muuuito triste.

    Infelizmente ainda vai piorar, pois os jovens leem cada vez menos livros. Em vez disso só sabem idolatrar o bobomito, mais conhecido no Exército Brasileiro como oficial"bunda-suja" sinônimo para fracassado....

    ResponderExcluir
  22. Adoro seu blog parabéns

    ResponderExcluir